Grupo Petropolis

Nova fábrica em Itapissuma/PE

O Grupo Petrópolis vai construir mais uma fábrica no nordeste, desta vez na cidade de Itapissuma, em Pernambuco. Essa será a segunda unidade da empresa no nordeste do Brasil, região que nos últimos anos registra um crescimento de consumo maior do que a média nacional. Lembrando que no mês de julho, já havia sido anunciada a construção da unidade em Alagoinhas, na Bahia. Ambas fazem parte da estratégia de expansão do Grupo Petrópolis, que pretende consolidar a vice-liderança do setor e estar presente em 100% do território nacional até 2020.

Segundo Douglas Costa, diretor de mercado do Grupo Petrópolis, o nordeste é a região do país que tem o maior potencial de crescimento e a mais favorecida pela estabilidade econômica. “É um grande mercado capaz de sustentar duas fábricas sem problemas”. O executivo enfatiza que a Petrópolis, hoje, é a única grande cervejaria do país com capital 100% brasileiro. “É importante que empresas nacionais também estejam presentes nesse processo de crescimento de uma região fundamental para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil. Agora estamos fortes o suficiente para colaborar também no nordeste”, declara.

Para a nova planta em Itapissuma, serão investidos, no mínimo, R$ 600 milhões. Esse valor envolve as fases de infraestrutura, contratação e treinamento de pessoal, e operacionalização inicial da unidade. Já a capacidade de produção será de 6 milhões de hectolitros de cerveja/ano, podendo ser ampliada.

A construção e fases subsequentes vão gerar aproximadamente, nesta primeira fase, 474 empregos diretos para a unidade fabril.  Quando a unidade de produção e o centro de distribuição estiverem operando em plena capacidade, a estimativa é que gere mais de 1 mil empregos. As novas fábricas também motivarão a abertura de mais de 70 novas revendas do Grupo Petrópolis no nordeste.

De acordo com Costa, a construção de uma fábrica em Pernambuco é estratégica para o posicionamento geográfico da empresa – Itapissuma está localizada a menos de 50 km de Recife. “Contaremos com uma logística privilegiada para atender a região. O estado está localizado no epicentro do nordeste e a cidade também está próxima a capitais importantes. Além disso, há o Porto de Suape, que está sendo avaliado em possíveis estratégias de acesso a matérias primas e exportação”.